análises de monitoramento no marketplace

Para analisar o comportamento e melhorar o desempenho dentro do marketplace, o seller, nome dado a quem vende nessa plataforma, precisa contar com mecanismos e ferramentas que o auxiliem na realização de análises capazes de apresentar insights e caminhos que, se percorridos de forma estratégica, podem contribuir com o resultado alcançado em vendas.

Um exemplo de análise que precisa ser realizada é a de produtos que são buy box e, dentre eles, quais tem o preço menor ou maior se comparado a concorrência. Esse tipo de informação, como vamos apresentar na sequência desse artigo, vai ajudar a desenvolver planos que auxiliarão a manter-se no buy box, na mesma medida em que a rentabilidade do negócio continua saudável.

O monitoramento no marketplace é a solução que consegue apresentar, por meio da análise do comportamento dos sellers concorrentes, informações sobre a variação de seus produtos, dividido por canais, permitindo que se tenha informações importantes, como: onde aumentar margem e em quais produtos é recomendável reduzir o preço.

Para melhor compreensão do que é o monitoramento no marketplace, listamos alguns exemplos práticos que podem ser adotados com essa solução. Como base para a análise, vamos utilizar imagem produzida pela Sieve:

 

Determinado seller, possui 671 ofertas – a quantidade de produtos vendidos no canal.

Na parte superior, estão identificados os produtos que são buy box, ou seja, que recebem destaque no marketplace. De todo o catálogo deste seller, 378 itens (ou 56% do total) estão em destaque. É possível constatar que mais da metade dos produtos são buy box. Com essa informação é possível  identificar oportunidades.

Análise de produtos que sou buy box

Vamos nos aprofundar um pouco mais na parte superior da imagem, e olhar apenas para os produtos que são buy box.

 

De todos os produtos que são buy box, 175, ou 46% do total, são de itens que o seller não possui concorrentes e que, portanto, terá destaque exclusivo. Para essas situações o único passo é monitorar a entrada de outros varejistas na venda de produtos que, hoje, você “navega” no chamado Oceano Azul.

Agora, nos produtos em que o item está acompanhado, que são 203 (54% dos produtos vendidos) serão dois cenários: um de oportunidade e outro de atenção.

 

Buy box > menor preço (oportunidade)

Nesse caso, o seller é buy box e possui o menor preço. Ao manter um preço abaixo dos concorrentes, o lojista perde margem. Note, na imagem, que o gap de preço entre o seller buy box e o segundo colocado é -13,2%. O produto é mais barato e, nessa situação, o vendedor está perdendo margem significativa.

Ao identificar essa informação, o seller potencializa o poder de receita de sua loja virtual.

 

Buy box > maior preço (ponto de atenção)

47 produtos, ou 23% dos itens que são buy box, têm o maior preço. Vale destacar que para se tornar buy box são levados em consideração vários aspectos. Além do preço são analisados, por exemplo, o frete e a avaliação do cliente. Nesse caso, os concorrentes, que oferecem o menor preço (na imagem, o seller avaliado está 12% mais caro que o menor preço no marketplace) podem melhorar suas tabelas de frete, ou os serviços oferecidos aos clientes e conseguirem destaque. Por isso, trata-se de um ponto de atenção, já que qualquer descuido pode fazer com que o seller perca espaço.

 

Análise de produtos que não sou buy box

Fazendo a análise dos produtos do exemplo que não estão expostos no buy box, temos:

 

De todos os produtos que não são buy box, apenas 21% estão com o menor preço. Nesse caso, os concorrentes que comercializam os mesmos produtos provavelmente oferecem, dentre os critérios analisados, condições melhores. Ser o menor preço não é suficiente para tornar a oferta buy box.

A maioria dos produtos que não são buy box (79%) estão, na média, com o preço 12% mais alto do que o item que é buy box.

Embora o preço não seja o único fator de escolha do seller que será buy box, ele ainda é o único que está 100% nas mãos do vendedor. Desses 231 itens analisados, com as devidas alterações de preço, será possível fazer com que uma significativa parte dos produtos tenha mais chances de se posicionarem no buy box.

Esses são insigths importantes que podem ser retirados do monitoramento no marketplace. É necessário possuir essas informações contemplando todos os marketplaces, além de delimitar as análises por canal. Para conseguir desenvolver esse tipo de estudo existem duas formas:

  • Manual: identificar cada um dos SKUs, realizando análises da concorrência, um a um. Nessa modalidade existe espaço para a falha humana, o que pode comprometer as análises realizadas. A a periodicidade também é comprometida, pois será mais difícil realizar o monitoramento diariamente.
  • Automatizado: empresas, como a própria Sieve, já realizam a automação dessas análises, entregando reports periódicos (mensal, semanal e/ou diário) o que torna o processo mais simples e estratégico como a inteligência de preço para marketplace.

Possui dúvidas sobre como monitorar sua presença no marketplace? Deixe seu comentário.


Compartilhe essa postagem

O que é e como fazer análises de monitoramento no marketplace?
Classificado como:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *