Definir preços de produtos é um dos momentos mais importantes para o sucesso de uma empresa. Afinal, se for muito abaixo do mercado, você pode sair no prejuízo. Porém, se for muito elevado, os consumidores poderão optar pelos concorrentes.

Sendo assim, é importante pensar em diferentes fatores para a definição do preço dos seus produtos e entender quais são os erros mais comuns relacionados a essa estratégia, para corrigi-los o quanto antes! Confira abaixo!

Não fazer análise da concorrência

Em primeiro lugar, é essencial que você faça o monitoramento dos seus concorrentes, principalmente quando eles vendem o mesmo produto que você e ainda estão dentro do mesmo marketplace.

Ao entender como os outros vendedores determinam os preços de produtos, fica mais simples pensar em estratégias que tragam maior rentabilidade e também auxiliem para você não cometer erros de precificação.

Errar na digitação dos preços de produtos

Quando a precificação dos produtos é feita de forma manual, é muito comum que ocorram erros na digitação. Por exemplo: um item que custa R$ 100, por conta de uma vírgula errada, passa a custar R$ 1,00.

Isso pode não apenas impactar na avaliação da sua loja virtual e te trazer prejuízos financeiros, como também fazer com que você perca as chances de estar no buy box.

A boa notícia é que alguns marketplaces oferecem uma trava de segurança que ajuda a impedir alterações de preço que correspondam a menos de 50% do último valor aplicado ao produto.

Não entender o público do canal

Antes de optar por vender seus produtos em um grande canal de marketplace, também é fundamental que você entenda qual o perfil do público presente e qual o seu comportamento de compra.

Se o marketplace for um local onde o consumidor busca por preço, por exemplo, estratégias com margens mais altas podem não ser a melhor decisão. Se não é possível reduzir os preços de produtos determinados, a melhor opção é diversificar o sortimento da loja, com itens que permitem uma maior aderência.

Porém, se os clientes da plataforma buscam por qualidade ou produtos de uma categoria “premium”, o cenário muda. Afinal, isso permite que você consiga trabalhar com preços mais altos.

O que achou deste artigo? Continue acompanhando os conteúdos do blog da Sieve!

Leia também:

Tudo que você precisa saber para ganhar destaque no buy box

Como reduzir custos logísticos: 3 dicas essenciais

Por que o monitoramento de mercado de lojas virtuais é importante?

Compartilhe essa postagem

3 erros mais comuns ao definir preços de produtos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *